21 abril 2009

Psicografando Nietzsche

O ANTICRISTO – FRIEDRICH NIETZSCHE

PREFÁCIO COMEMORATIVO DE CENTO E VINTE ANOS


Este livro destina-se aos homens mais raros. Talvez nenhum deles sequer esteja vivo, até porque chegamos a tal ponto que se algum indivíduo alcançar a liberdade de espírito que almejo nesta obra, simplesmente enlouquecerá ou aclamará suicídio, principalmente neste inferno que se tornou a civilização.

Vejo daqui, das profundezas do Hades, a criatura mesquinha que se chama homem. Em vida eu acreditava que chegaria o dia em que este ser poderia superar-se, dando origem a uma nova raça, onde os ídolos poderiam ser derrubados e que seriam esquecidas todas as pretensões de se chegar à verdade. Contudo, admito que minhas perspectivas foram demasiadamente idealistas (isso dói mais em mim do que em vocês, meus caros leitores). O homem contemporâneo ainda sonha com a fórmula que explica todo o Universo, manipula melancias quadradas em laboratórios e até criou uma igreja para cultuar o Maradona. Parece que Deus morreu e colocaram o Barack Obama no lugar!

A moral de rebanho cristã foi trocada pela moral de plástico da televisão, onde os heróis não possuem mais idéias e sim grandes peitos, bundas, muito dinheiro e nenhum bigodão. Os novos heróis não são mais Zaratustra, Napoleão ou o Übermensch e sim os Big Brothers do Pedro Bial. A música dionisíaca foi trocada pelas danças afrodisíacas de nádegas siliconadas e requebrantes. O que nos mostra que a decadência cultural nunca foi tão preocupante.

Isso sem contar que quase tudo que eu escrevi foi avacalhado, pois deram um jeito de deturpar e ganhar dinheiro em cima: a vontade de potência virou lema do nazismo, me transformaram em místico (inclusive muitos afirmam que eu acreditava em extraterrestres e na reencarnação), em uma obra de ficção fui até tratado de dor de cotovelo por um psicanalista! Só faltou dizer que me converti ao socialismo-cristão no leito de morte.

Infelizmente os homens não conseguiram interpretar minha mensagem, os meus leitores, meus verdadeiros leitores predestinados ainda não nasceram, ou melhor, não evoluíram (isso cabe à Hitler, o macaco de Zaratustra!). O homem precisa ser superado, quem sabe pelos cavalos, àqueles que prezo tanto amor. É necessário ser superior à humanidade em força, em grandeza de alma – e em desprezo...

Friedrich Nietzsche - Quinto círculo do Inferno

Psicografado pelo médium Felipe Camargo.




4 comentários:

[deaba] disse...

Caralho, ficou muito bom, Felipe! Merece ganahr o concurso!!! Quando sai o resultado?

Felipe Camargo disse...

Então...nem sei, o que vier está bom, se eu não ganhar posso justificar como o nosso amigo do bigode "homens como eu nascem póstumos"

RS

Rodr19o L.A. disse...

muito legal esse blog. começarei a acompanhar ele...

junior disse...

mas quem podera mudar isso? Essas palavras como varios pensamentos vão ficar perdidos com o tempo, o ser humano ainda é como criança e esta só gatinhando, quem sabe daqui a milhões de anos isso mude.